Com viagens mais curtas o setor de cruzeiros espera um crescimento para a nova temporada

Apesar do ano passado a temporada de cruzeiros pelo litoral brasileiro ter apresentado uma queda, esse ano a alta temporada que vai de novembro a abril, vai apresentar uma nova estrutura visando o crescimento do setor.

A quantidade de navios será a mesma do ano passado, com sete embarcações, mas as viagens vão ficar mais curtas, aumentando dessa forma o número de viagens e a quantidade de pessoas que irão embarcar. Uma das embarcações deu lugar a outro transatlântico maior de uma outra empresa.

Segundo dados fornecidos pela FGV (Fundação Getulio Vargas) e pela Clia Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), a quantidade de leitos disponíveis irá ter um aumento de 12,5%, passando de 383 mil para 431 mil.

Em 2010, o país apresentou a maior alta do setor quando a temporada contou com vinte embarcações, e mais de oitocentos mil passageiros viajaram nesse ano. Cinco anos depois, a quantidade de embarcações foi reduzida pela metade, e no ano passado com o encerramento das atividades da Royal Caribbean no Brasil, sem contar com os três navios dela que atuavam aqui, a quantidade de embarcações ficou reduzida a sete.

Alguns fatores foram determinantes para essa redução do setor no país, como a crise financeira há alguns anos, e outros destinos se tornaram muito interessantes como China e Cuba, foi o que declarou o presidente da Clia, Marco Ferraz. Outros fatores também atuaram para essa redução no país, como os custos operacionais elevados, as dificuldades apresentadas pelos navios maiores para atracar e os complexos impostos praticados aqui no Brasil.

O presidente da Clia ainda destaca que esse ano será muito bom para o setor, e as embarcações que estiverem nessa temporada operando no país, irão aproveitar essa ocasião.

O setor está em pleno crescimento pelo mundo, com mais de oitenta navios sendo construídos e com previsões de entrega até 2026.

Para a temporada brasileira virão  três embarcações da MSC,  uma da Pullmantur e duas da Costa. A Clia ainda conta com uma embarcação da MSC, que sairá de Buenos Aires e passará pelo Brasil. Mesmo embarcando somente estrangeiros e não se encaixando nas regras de cabotagem, que é o sistema de navegação entre os portos do Brasil, como ele irá ficar no litoral brasileiro por mais de trinta dias, ele terá que cumprir as determinações brasileiras para realizar as suas operações no país.