Fenabrave divulga crescimento de 24,5% na venda de veículos em setembro

Resultado de imagem para Fenabrave divulga crescimento de 24,5% na venda de veículos em setembro

Com o fechamento do mês de setembro, a Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, revelou que as vendas de carros, caminhões, comerciais leves e ônibus tiveram um aumento de 24,5% no mês, em uma comparação com o mesmo mês em 2016. Além dos novos dados, a Fenabrave ainda atualizou as suas projeções de vendas automotivas para o restante do ano.

Somente no mês de setembro deste ano, o total de veículos emplacados chegou a 199.227. Já no ano de 2016, o mês de setembro registrou um total de 159.953 veículos emplacados. O mês de setembro deste ano registrou o segundo melhor resultado em relação as vendas do setor, ficando atrás apenas do mês de agosto, que emplacou um total de 216 mil veículos.

Após os dados lançados do mês de setembro, o acumulado para o ano de 2017 chega a ser de 1,62 milhão de novos veículos vendidos no país, o que significa uma alta de 7,36% em relação ao ano passado.

Esse aumento nas vendas é um reflexo principalmente da comercialização de comerciais leves, como os furgões e picapes, e de automóveis. Esses dois tipos de veículos representam a maior parte dos emplacamentos no mês de setembro, tendo um crescimento de 24,9% de vendas no período. Já no acumulado do ano, a venda desses dois tipos de veículos teve uma alta de 7,86%, comparado aos dados do ano passado.

Em relação as estimativas da Fenabrave, a entidade previu que haveria um crescimento de 2,04% nas vendas dos veículos classificados como automóveis e comerciais leves em relação ao ano passado. Após um avanço nas vendas do setor, a entidade mudou as estimativas para um crescimento de 4,3% no mês de julho. Agora, a Fenabrave estima que as vendas alcancem os 9,9% de crescimento no ano.

Dentre os maiores motivos para que o setor tivesse uma alta nas vendas estão a queda da taxa de juro e da inflação. Os dois pontos são utilizados como referencial na hora de fechar contrato para um financiamento de veículo. Sendo assim, a queda apresentou melhores oportunidades e valores para os consumidores que desejavam trocar ou comprar um veículo.