Grupo Volkswagen vai investir em carros elétricos e pretende lançar quinze carros em até três anos na China

O Grupo Volkswagen declarou que pretende fazer investimentos em torno de 10 bilhões de euros ou cerca de 11,8 bilhões de dólares, para aprimorar e produzir até 2025 na China, tanto carros híbridos quanto  veículos inteiramente elétricos,  procurando seguir as duras regras praticadas no território chinês.

Além dos quinze novos carros elétricos (NEV, na sigla em inglês) que eles querem lançar no máximo em três anos, o grupo que é formado pela Volkswagen e pela Audi quer lançar depois de 2025 mais 25 modelos, segundo o que declarou Jochem Heizmann, que é o diretor na China do Grupo Volkswagen.

A quantidade de unidades que deverão ser produzidas e vendidas de NEVs no país, que precisarão ser cumpridas até 2019, estimularam uma grande comercialização de veículos elétricos e novas unidades sendo lançadas, já que as montadoras da China lutam para assegurar que estarão dentro dos parâmetros de fabricação até essa data. As montadoras que não conseguirem alcançar as metas estipuladas, precisarão comercializar créditos com outras companhias.

Segundo uma porta-voz do Grupo Volkswagen, a empresa possui cerca de dez NEVs no mercado da China, apesar de eles serem todos importados e a quantidade das vendas desses veículos serem reduzidas.

Antes da Feira de Automóveis que acontece em Guangzhou, na China, Heizmann declarou que o Grupo Volkswagen deseja comercializar cerca de 400 mil novos carros elétricos em território chinês anualmente até 2020, e

1,5 milhão de veículos anualmente até 2025. Os NEVs são veículos inteiramente elétricos e que utilizam bateria, além dos híbridos que são muito eletrificados.

Vários desses modelos vão conseguir alcançar uma autonomia de 400 a 600 quilômetros, colocando uma carga completa em sua bateria. Em um comparativo, o Model S da marca Tesla apresenta uma autonomia que fica entre 490 a 632 quilômetros, de acordo com a capacidade que pode conter cada bateria, disse ainda Heizmann.

O executivo do Grupo Volkswagen declarou, que a empresa está otimista de que as suas montadoras e os seus sócios de joint ventures locais, chegarão em um total de vendas de veículos elétricos necessários para alcançar as metas de 2019, sem precisar de comprar créditos de outras empresas.