Popularidade dos audiolivros cresce e são trunfo para as editoras

Durante a década de 80, era muito comum as crianças escutarem histórias em discos de vinil e fita cassete. Com a tecnologia, as editoras passaram a lançar livros em CDs, mas essa iniciativa não agradou e fez menos sucesso que os formatos anteriores de audiolivros.

Surpreendentemente, no ano de 2017, os audiolivros se destacaram em várias feiras literárias mundo afora, e prometem ser  a grande tendência desse setor nos próximos anos.

De acordo com a Nielsen, empresa responsável por monitorar as vendas de livros em vários países, as vendas desse formato de livro tem crescido bastante nos Estados Unidos e na Inglaterra, tendo por exemplo, dobrado entre os anos de 2015 e 2016.

No Brasil, existem atualmente duas empresas de destaque que oferecem audiolivros, a Toca Livros e a Ubook. Apesar desse mercado ainda não ser tão expressivo no país, a expectativa é de que ele cresça nos próximos anos. Alguns indicativos disso é que o Google planeja lançar uma plataforma global nesse segmento, cuja previsão é de atuar no Brasil, e a Audible, da Amazon, também está próxima de chegar ao mercado nacional.

Mesmo com a possível concorrência internacional, a startup Ubook, criada em 2014, não teme a concorrência dos chamados grandes players. De acordo com o gerente de aquisições da empresa, Anderson Santos, é preferível controlar uma pequena fatia de um grande mercado do que liderar um setor pouco desenvolvido. E para ele, esse mercado só vai crescer realmente no Brasil após a chegada das grandes empresas.

Nos dias de hoje, a Ubook conta com cerca de dois milhões de usuários cadastrados em toda a América Latina, tendo um acervo de aproximadamente 15 mil audiolivros em três idiomas diferentes.

O público que mais consome esse formato de livros no país são os jovens na faixa etária dos 25 a 34 anos, que representam 40% dos usuários cadastrados da Ubook. Além disso, a maioria deles são homens, cerca de 67%, e o tempo médio de horas gastas nessa atividade é de 6h12 por mês, o equivalente a um livro de 250 páginas, por exemplo. Por fim, o horário mais utilizado pelos usuários é entre às 17h30 e 20 horas.