Psicólogo publica artigo com dicas valiosas de como se desligar do trabalho

O mercado de trabalho está ficando cada vez mais competitivo e deixando os profissionais pressionados a dar resultados, cumprir metas e resolver problemas. Diante de tanto stress no dia a dia, esta ficando comum o profissional não conseguir desligar das funções que exerce nos momentos de descanso. Quando esse comportamento vira um hábito pode acarretar problemas à saúde.

Diante desse cenário, um docente da Universidade do Texas, em Austin, publicou um artigo para a revista Harvard Business Review, onde ele fornece dicas para o profissional conseguir deixar de pensar nas questões do trabalho durante a folga. Art Markman é psicólogo e baseou esses conselhos no princípio de Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC).

Não crie o desafio de não pensar no trabalho

Segundo Art Markman, a tentativa de não pensar no trabalho por si só já é suficiente para desencadear lembranças e preocupações. O psicólogo afirma que objetivos negativos tendem ao fracasso, porque gera certa tentação para fazer aquilo que se planeja evitar.

É mais interessante se focar em planejar as atividades que irá realizar na folga. Esse comportamento gera expectativas para o passeio e acaba tirando a carga de outras questões que ocupam a mente ao longo da semana.

Despeje tudo num papel

Caso esteja muito difícil se desligar de alguma tarefa ou problema no trabalho, então é melhor não fugir do “inimigo”, mas esgota-lo de uma vez, ao invés de ficar ruminando o tempo todo. De acordo com o artigo é interessante anotar o fluxo de pensamentos e todas as coisas que estão preocupando, isso ajuda a aliviar o peso. Uma forma alternativa é desabafar verbalmente com outras pessoas sobre esses problemas.

Torne o trabalho inacessível

Assim como viciados em alguma substância, o fato de afastar da vista a tentação pode afastar pensamentos. No caso do trabalho, é interessante tirar do campo de visão tudo que lembre a vida profissional nos dias de folga ou até mesmo ao chegar em casa. Como por exemplo, guardar o crachá e a mochila numa armário que só será aberto quando precisar ou deixar para ler a conta de e-mail profissional apenas quando estiver na empresa.